Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B

Tesouro Direto Descomplicado

Graças à inflação muitas pessoas estão perdendo dinheiro deixando o mesmo parado em casa ou na poupança, mas o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B  é uma excelente opção para aqueles que desejam fugir da inflação e, ainda, obter rendimentos acima da mesma em seu investimento.

Esse é um título pós-fixado, ou seja, a rentabilidade varia de acordo com a inflação do período de investimento.

O mesmo diferencia-se dos outros títulos(IPCA + NTN-B Principal, Tesouro Selic, Tesouro Prefixado LTN e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais NTN‐F) pois é ajustado pelo IPCA e paga juros semestralmente, sendo o único com essas duas características.

Claro que cada um possui suas vantagens e desvantagens.

Porém essa pode ser uma excelente opção principalmente para quem tem condições de investir muio dinheiro.

Mas vamos ao artigo sobre o tema!

>>> Aprenda a garantir seu futuro com os Títulos Públicos em vídeo aulas <<<Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B Rentabilidade Cálculo

Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B

Todo mundo deseja se proteger da inflação, não é mesmo?

E esse tipo de título vinculado ao IPCA é ideal para isso, embora existam outras opções que também são boas para investir.

Mas aqui vou explicar um pouco sobre essa opção, para que possa escolher com cuidado seu investimento.

E aumentar seus lucros e entendimento sobre o assunto.

O que é o IPCA?

IPCA é a sigla de “Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo” e representa a variação geral dos preços em um determinado período.

O índice é o oficial do Governo Federal na medição da inflação.

Pode ver mais informações sobre esse índice no link abaixo:

www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/inpc_ipca/defaultinpc.shtm

Rentabilidade do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais

A rentabilidade desse tipo de título se dá por uma taxa definida no momento do investimento somada à taxa de inflação do período em que se fica com a aplicação.

Daí o símbolo “IPCA+”, significando que rende a taxa de inflação + uma taxa de juros extra.

Essa rentabilidade permite o investidor se programar e investir em casos de estimativas pessimistas com relação à inflação, ou seja, quanto mais alta for o IPCA melhor torna-se o investimento em ativos vinculados ao mesmo.

Claro que nem tudo é perfeito.

Mas essa opção pode ser a melhor escolha em alguns casos.

Como funciona esse tipo de título?

O Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN‐B) é um título pós‐fixado, cuja rentabilidade é composta por uma taxa anual pactuada no momento da compra mais a variação do IPCA, índice de inflação oficial do governo brasileiro, calculado pelo IBGE.

Possui fluxos periódicos de pagamento ao investidor (cupom semestral de juros), a uma taxa de 6% a.a., pagos semestralmente.

A rentabilidade é dada pela taxa anual de juros mais a variação do indexador até o vencimento.

A figura abaixo ilustra o fluxo de pagamentos do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN‐B):Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN‐B) Fluxo de pagamentos

É um título escritural, nominativo e negociável.

Na data de vencimento do título ocorre o resgate do principal investido, corrigido tanto pela taxa pactuada no momento da compra quanto pela variação do IPCA no período.

Sua rentabilidade é dada pela taxa anual de juros, que determina sua cotação, mais a variação do indexador até o vencimento, que altera o valor de seu VNA (Valor Nominal Atualizado).

Além disso, semestralmente são pagos os cupons de juros, com ajuste no primeiro período de fluência, quando couber. O primeiro cupom a ser pago contemplará a taxa integral definida para seis meses, independente da data de liquidação da compra.

Ainda em relação ao seu VNA, sua data‐base é 15/07/2000, quando seu valor, por definição, foi estabelecido em R$ 1.000,00.

Desde então, mensalmente tal valor é atualizado pela variação mensal do IPCA, divulgada entre os dias 10 e 15 de cada mês pelo IBGE.

O exemplo a seguir ilustra a compra de um título, cujas principais características e metodologia de cálculo do preço são demonstradas na sequência:

Exemplo:

Exemplo tesouro ipca com juros semestrais

Metodologia de Cálculo do Preço:

O preço (Preço Unitário ou PU) do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN‐B), assim como de qualquer outro título pós‐fixado negociado no Tesouro Direto, é dado pela equação:

Equação título público inflação IPCa

O VNA deve ser o projetado para o dia da liquidação da compra, dado que o indexador ao qual o papel está vinculado somente é conhecido ex post.

Sendo necessário, desta forma, fazer sua projeção ou utilizar uma calculada pelo mercado.

Mas antes de projetá‐lo, deve‐se apurar sua variação até o mês anterior ao da liquidação da operação, que, por sua vez, já é conhecido:VNA Tesouro IPCA com juros semestrais

Para se chegar ao fator de variação do IPCA entre o dia 15/07/2000 e o dia 15/12/2012 (IPCA de novembro/2012), no caso do exemplo, basta dividir os respectivos números‐índices da série disponibilizada pelo IBGE e no endereço:

www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/inpc_ipca/defaulttab.shtm

IPCA IBGE Tesouro Direto juros semestrais

Retomando ao VNA:

Cálculo do VNA IPCA semestrais 1

Resultado VNA IPCA Juros semestrais

 

 

 

 

Voltando à projeção, à época, não se sabia qual seria o IPCA de dezembro/2012, mas o mercado possuía uma projeção (0,53%), que foi utilizada na precificação:

VNA Projetado Tesouro IPCA Juros semestrais

Cabe ressaltar que, por meio da opção “BALANÇO E ESTATÍSTICAS” do site do Tesouro Direto, pode‐se obter a série histórica do VNA do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN‐B):

O expoente da equação “x” nada mais é do que a razão entre o número de dias corridos entre a data de liquidação e o dia 15 do mês em questão e o número de dias corridos entre o dia 15 do mês seguinte e o dia 15 do mês em questão.

Ou seja:

Número de dias de investimento rentabilidade

Retomando a equação:

VNA Projetado Tesouro IPCA Juros semestrais calculado

Agora deve‐se obter a cotação do papel, que reflete o ágio ou o deságio do título, dada pela seguinte relação:

Fórmula da cotação tesouro ipca juros semestrais

A taxa anual de cupom é 6%. Já a TIR da equação é a taxa pactuada no momento da compra do papel, no caso, 5,32% a.a.

Então:

Cálculo da cotação exemplo ipca semestrais juros

As variáveis “DUn” se referem aos dias úteis entre a data de liquidação e a do pagamento do n‐ésimo cupom.

Ex.: DU1 são os dias úteis entre a liquidação da compra e o pagamento do primeiro cupom.

DU4 são os dias úteis entre a liquidação da compra e o pagamento do quarto cupom e assim sucessivamente, até o vencimento.

Para ilustrar melhor, segue a análise abaixo:

Tabela cupons de juros semestrais tesouro ipca

Então como fica o cálculo da cotação?Cálculo da cotação Tesouro IPCA+ juros semestrais

Cabe ressaltar que as cotações dos títulos negociados no Tesouro Direto são truncadas na quarta casa decimal.

Vídeo revela Como Investir no Tesouro Direto e Ter Mais Sucesso Nesse Investimento:Tesouro Direto Descomplicado Conversão master

Desta forma:

Porcentagem cotação IPCA+ juros semestrais

Retomando a equação original do preço do papel, tem‐se:

Equação original preço IPCA+ juros semestrais

Cabe ressaltar que os Preços dos títulos negociados no Tesouro Direto são truncados na segunda casa decimal.

Então:Preço truncado tesouro ipca juros semestrais

Cálculo do Cupom de Juros:

O cupom de juros do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN‐B) é calculado com base no VNA do título na data de pagamento.

Como a taxa anual do cupom é de 6% e o pagamento é semestral, deve‐se encontrar a taxa ao semestre.pagamento de cupons IPCA+ com juros semestrais

No mesmo exemplo, para se obter o montante recebido no primeiro cupom (15/05/2012), sabendo‐se que o VNA do dia foi de R$ 2.147,539359 (variação dos números‐índices do IPCA entre 15/julho/2000 e 15/maio/2012) e que o truncamento é na segunda casa:

Valor recebido com o cupom de juros semestras IPCA

Obs.: Esse é só um exemplo tirado do PDF Oficial do Tesouro Direto para exemplificar o cálculo do rendimento e dos cupons de juros pagos semestralmente. O mesmo pode ser acessado através do link abaixo:

www.tesouro.fazenda.gov.br/documents/10180/410323/NTN-B_novidades.pdf

Para quem é indicado

>>> Aprenda a garantir seu futuro com os Títulos Públicos em vídeo aulas <<<

O investidor só pensa em quão grande será seu rendimento e as suas vantagens, e não poderia ser diferente.

Existem várias vantagens que cabem destacar-se no caso do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B:

Vantagens

Taxa de rendimento anual vinculada à inflação;

Protege seu investimento da desvalorização do dinheiro;

Garantida a compra pelo Tesouro Nacional;

Paga juros semestralmente através dos cupons, ajudando a complementar a renda.

Desvantagens

Pode-se perder dinheiro no caso de venda antecipada;

Pode possuir taxas menos vantajosas que os outros títulos caso a inflação esteja baixa no período de investimento;

O imposto de renda incide sobre os cupons semestrais, podendo aumentar o valor pago em impostos.

Pode ter juros negativos no caso da venda antecipada, ou seja, pode-se perder dinheiro.

Para quem é indicado o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B?

Ele é indicado para aqueles que desejam se proteger da inflação alta que possuímos no Brasil, que procura rendimento superior a poupança e para quem deseja manter o mesmo até a data do vencimento do título.

Ou seja, é um investimento para aqueles que se planejam e não possuem a necessidade de retirar o investimento em casos de emergência, tendo um dinheiro já reservado a essa finalidade.

E, além disso, o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B é indicado para aqueles que desejam receber parte da rentabilidade durante o período de investimento

Em resumo: É o investimento ideal para quem quer se proteger da inflação(ganhando acima da mesma e da poupança), tem dinheiro que não necessitará em casos de eventuais emergências e deseja obter parte dos seus lucros ao longo dos meses, sendo que obedece às mesmas regras, sendo submetido às mesmas taxas e impostos, dos outros títulos.

Taxas e Impostos

Como dito no último parágrafo do tópico acima, os impostos e taxas cobrados são os mesmos aplicados a todos os títulos.

Sendo assim, existem duas taxas e dois impostos que são cobrados:

Taxa de custódia da corretora

Essa é a taxa que a corretora cobra para fazer as operações com os títulos.

Existem corretoras com taxa zero para Tesouro Direto, o que pode minimizar o valor descontado e aumentar os rendimentos com sua aplicação.

Essa taxa de administração pode variar de 0,0% a.a. a 2,0%a.a. sobre o valor do título, a depender da corretora escolhida para fazer a aplicação.

Taxa da BM&FBovespa

Essa taxa de custódia é inevitável pois é a própria BM&FBovespa que gerencia os títulos em conjunto com o Governo e a mesma é obrigatória.

Ela é de 0,3% a.a. sobre o valor do título.

Imposto sobre Operações Financeiras – IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) recai sobre a rentabilidade apenas, sendo que é regressivo.

O mesmo só é cobrado caso o investidor compre e venda o título no período de 30 dias, após isso não é cobrado IOF sobre os rendimentos.

As alíquotas se estendem de 96% do rendimento da operação, para um dia de aplicação, declinando até 0 % do rendimento, para 30 dias.

Imposto de Renda

O Imposto de Renda Sobre Tesouro Direto é cobrado sempre que é efetuado o resgate de algum rendimento.

No caso do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B ele é cobrado na venda antecipada, na data de vencimento do título ou sempre que houver um resgate de um cupom de juros semestral.

A taxa de cobrança é regressiva e obedece a seguinte tabela:

Imposto de Renda sobre Tesouro Direto Alíquotas

Então, as alíquotas ficam assim:

  • 22,5%, em aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20%, em aplicações com prazo de 181 dias até 360 dias;
  • 17,5%, em aplicações com prazo de 361 dias até 720 dias;
  • 15%, em aplicações com prazo acima de 720 dias.

Ou seja, quanto maior o tempo que manter seu investimento menor será o Imposto de Renda recolhido pelo Governo.

Como são recolhidos os impostos e as taxas

Todos os valores são recolhidos automaticamente pela corretora, não precisando movimentos da parte do investidor para o pagamento dos impostos e taxas.

Sendo que é necessário declarar os seus investimentos junto ao Imposto de Renda.

>>> Aprenda a garantir seu futuro com os Títulos Públicos em vídeo aulas <

Riscos do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B

Por mais seguro que seja o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B ele ainda possui alguns riscos na hora de quem faz investimentos no mesmo.

Risco de Calote ou de Crédito

Esse caso somente tem a possibilidade de ocorrer caso o Governo entre em uma crise econômica profunda, sendo que o calote é uma possibilidade extremamente remota de acontecer mesmo que o país quebre.

Nesse caso o Governo ficaria impossibilitado de pagar os rendimentos ou mesmo de repor o dinheiro dos seus investimentos, mas isso só teria a possibilidade de acontecer em crises semelhantes à crise da Grécia ou em casos da volta da hiperinflação, o que são fatores totalmente remotos e quase impossíveis de ocorrer.

Vale ressaltar, ainda, que o Tesouro Direto é mais seguro que qualquer outra aplicação de renda fixa ou variável e que o Governo é quem regula e garante o pagamento sobre o investimento, claro que se o Governo afundar de vez ele terá de deixar de pagar ou, mesmo, renegociar esse montante, porém, como dito antes, isso é um acontecimento extremamente remoto de acontecer.

Risco de Mercado

Como todas as ações disponíveis no mercado, o Tesouro Direto também pode sofrer desvalorizações.

Isso ocorre pois fatores econômicos podem fazer os preços dos títulos oscilarem, mas isso só atinge aqueles que precisarem resgatar o dinheiro antes do prazo de vencimento dos títulos.

Caso espere o vencimento dos Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B esse risco não existe.

Risco de Inflação

 

Esse risco no caso do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B não existe.

Isso porque o mesmo é vinculado à taxa de inflação, logo, quanto maior for a mesma, maior também será o rendimento dessa aplicação.

Esse, em conjunto com o Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal), são as duas melhores opções para se proteger dos riscos em períodos de alta inflação.

Como investirInvestir Tesouro Direto Prefixado LTN

O investimento se dá da mesma forma que com os outros Títulos do Tesouro.

Basta seguir o passo a passo do vídeo abaixo:

Passo a passo descrito no vídeo:

Com esses 6 passos é possível fazer a compra de seus títulos públicos e começar a também ganhar dinheiro com o investimento.

>>> Aprenda a garantir seu futuro com os Títulos Públicos em vídeo aulas <<<

Conclusão sobre o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B

Essa modalidade de investimento é ideal para aqueles que desejam se proteger da inflação e ter alto retorno do seu investimento em períodos em que o IPCA estiver alto e, além disso, desejam receber semestralmente parte da rentabilidade do mesmo.

O problema é que tende-se a pagar mais impostos para o governo que no caso do Tesouro IPCA+ (NTN-B Principal) (que não paga juros semestrais) pois as alíquotas sempre recaem sobre o rendimento quando o mesmo é recebido.

Claro que é preciso buscar mais conhecimento que o disposto no artigo se deseja realmente investir.

Existem várias outras opções que podem ajudar o investidor a escolher o melhor com base nos seus objetivos.

Para isso eu indico o Curso Tesouro Direto Descomplicado!

Acesse >>> www.tesourodiretodescomplicado.com.br <<< E aprenda mais sobre o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais – NTN‐B.

Tesouro Direto Descomplicado

Deixe uma resposta